REA|sábado, outubro 1, 2016

Duda Nogueira 

duda-140x140Criador e gestor do Duda Library, um software livre que mapeia, indexa, armazena e redistribui Recursos Educacionais Abertos promovendo o uso educativo em escolas com pouca ou nenhuma conexão com a Internet.

Por que você começou a trabalhar com REA?

Em 2007, prestei um serviço de migração de desktops e servidores na Faculdade de Educação da UFMG. Lá tive o contato com uma distribuição Linux voltada para a Educação.

Em 2008, após voltar de estudos no Canadá e trabalhar por um tempo em uma agência de publicidade, aceitei a oportunidade de dar treinamentos para Professores da rede Pública de Minas Gerais. Na mesma empresa, fui promovido para Gerente de diversos projetos de Tecnologia na Educação e Inclusão Digital, como UCA, UCAA (Araucária-PR), Piraí Digital, no Rio de Janeiro, Digitando o Futuro, em Uberlândia,  e tive a oportunidade de viajar bastante pelo Brasil e um pouco pela América do Sul.

Nessas andanças por lugares remotos, ouvi coisas do tipo: “Olha, o problema aqui não é muito máquinas, hardware. Nós já temos diversos projetos municipais, estaduais e federais. Nossa carência é por Internet.”

Nesse momento, pensei: “trazer conexão com a Internet para cá eu sei como fazer, mas não possuo os recursos para isso…”

E ele continuou: “Nossa carência é por conteúdo!”

E aí sim. Bom, eu não acho que sei fazer conteúdos, mas tinha lido recentemente sobre OER (Open Educational Resources) e depois sobre a galera do REA (Recursos Educacionais Abertos) e estava pesquisando sobre o assunto, pois eu já percebia essa carência.

Juntando Lé com Cré, cheguei à equação onde o resultado foi o Duda Library.

Qual a importância de REA e educação aberta para você?

A Educação Pública no Brasil hoje vem sendo forçada, aos trancos e barrancos e com poucos recursos  para se adaptar à Tecnologia inserida abruptamente em alguns locais. Felizmente, hoje  aqui no Brasil, em alguns lugares remotos e nas principais cidades, com bem mais frequência, já temos laboratórios de computadores acessíveis em escolas e comunidades.

Porém se olharmos o contexto onde este laboratório de informática geralmente está inserido, infelizmente, entenderemos o motivo de não termos grandes impactos na educação  e, muitas vezes, o motivo do laboratório da escola pública aí perto de você viver praticamente fechado.

A maioria desses laboratórios possuem pouca ou nenhuma conexão com a Internet. Quando a conexão é boa, o uso em geral, quando monitorado, se resume a jogos, leitura, pesquisa, etc. Considerando que o monitor/professor tenha a qualificação para gerenciar/propor a atividade. Quando a atividade não é gerenciada/proposta/monitorada, o que aparece nos logs é sempre Youtube, Facebook/Orkut, jogos e outras coisas.

Isso para mostrar a importância do REA hoje: podemos baixar esses recursos e disponibilizá-los por lá, dentro da escola.

Se olharmos pra frente, para o futuro, é fácil percebermos que em breve, ou não muito, teremos tablets baratos,  acessíveis, e muitas pessoas terão acesso a esses dispositivos, ou mesmo os smartphones e netbooks, seja na escola ou nas comunidades.

Neste contexto, o REA vem como uma ótima ferramenta, já que é um conteúdo educacional, informativo, que pode ser copiado e compartilhado livremente.

Como surgiu a ideia do DudaLibrary?

O Duda Library foi um passo natural após a minha inquietação sobre o que eu poderia fazer para mudar a situação atual.

Após analisar todas as informações, comecei a questionar sobre como seria a Biblioteca do Futuro, adaptada para a chamada “era digital”. Aberta, Comunitária, Colaborativa. Após 1 mês programando direto (Janeiro/2012), cheguei à prova de conceito exibida em Duda Library.

Quanto ao nome, ele tanto faz uma referência ao meu apelido, Duda, como podemos entender como a Biblioteca da Dúvida, usando os dois mais falados idiomas do ocidente: Espanhol e Inglês.

Qual o objetivo do DudaLibrary? Como ele funciona? Ele foi construída com software livre?

O objetivo do Duda Library é: mapear, indexar e redistribuir REAs do mundo inteiro, disponibilizando-os de modo offline em escolas e comunidades com pouca ou nenhuma conexão com a Internet.

O Duda Library usa Software Livre como base (Python e Django), e também  é um Software Livre ele mesmo (código disponível em http://dudalibrary.googlecode.com). Por causa disso, ele pode (e deve!) ser compartilhado e instalado/explorado por empresas, escolas, comunidades, etc. É exatamente este o objetivo e, por isso, fazer este projeto como Software Livre faz todo o sentido.

O funcionamento é bem simples e básico e até me surpreendi quando descobri que não há nenhuma solução parecida, voltada pra Educação ou REA especificamente.  A ideia é termos o Duda Library Central, que será responsável por indexar e fazer o download dos REAs dispostos em diversas Fontes de REAs (Ex: Domínio Público Brasileiro, Khan Academy, Portal do Professor, Futuratec, etc.).

Após esta fase, onde é feito o download do REA, o sistema o “empacota”, conferindo-lhe um ID único e criando um formato padrão. Na outra ponta, no servidor da escola/comunidade, você pode instalar o Duda Library e baixar os conteúdos da Central pela Internet (durante a madrugada, por exemplo, fazendo um uso eficiente da conexão) ou HD Externo/pendrive.

Os alunos/comunidade poderão então acessar os REAs pelo navegador. A disponibilidade da API permitirá a criação de aplicativos para tablets/desktops/celulares, que quando fora da escola/comunidade, se conectarão com a Central pela Internet, e quando dentro de uma rede que possua o Duda Library, se conectará com o servidor através da rede local.

Um segundo objetivo/possibilidade/oportunidade, que também foi uma percepção natural durante a criação da prova de conceito, foi a possibilidade da criação de  REAs, fazendo o upload para dentro do servidor da Escola/Comunidade e posteriormente para a Central, ou mesmo apontando um conteúdo como Youtube, Vimeo, Wikipedia, etc.

E isso abre inúmeras possibilidades. Por exemplo, e se eu quiser estudar a História do Paraguay, pela perspectiva Paraguaia em Espanhol/Castelhano? Num plano ideal, o governo Paraguaio usou o Duda Library pra distribuir REAs sobre essa temática, e os alunos no interior de Minas Gerais podem ter acesso a esse material, baixado sob demanda no servidor da escola.

É claro que nem todos os alunos terão essa curiosidade, mas acho que não podemos limitar o acesso à informação para os que a possuem.

Confira abaixo o diagrama geral de funcionamento proposto para o Duda Library.

Como você acha que a Duda Library pode impactar na busca e adoção de Recursos Educacionais Abertos?

Ao trabalhar nos últimos 4 anos com Tecnologia e Educação, percebi a grande distância que temos em duas comunidades/atividades distintas e cada vez mais co-dependentes: Pedagogia e Computação. Em se tratando na área de REA, isso nos leva a diversos problemas / oportunidades:

  • Falta de um padrão de REA: Até o presente momento (posso estar errado) não existe um formato para distribuição de REA, ou mesmo um guia das melhores práticas. Essa é uma das propostas que vem junto com o Duda Library: um padrão de distribuição de REA: já adianto que a minha proposta é baseada em padrões abertos: HTML5. Ou seja, nada de flash, wmv, flv, e outros formatos fechados/proprietários.
  • Falta um padrão para integração, ou API: Como não existe um padrão, uma fonte de Recurso não consegue dialogar com a outra fonte ou mesmo com nenhum outro sistema. Como por exemplo, fazer o download / indexação de um REA, ou mesmo exibir os REAs de uma Fonte de REAs  em outro site.
  • Acessibilidade: Muitas vezes o REA está praticamente “escondido” dentro da Fonte de Recurso ONLINE, o que dificulta o uso na prática pedagógica. Não podemos esperar que os professores conheçam tecnologia à fundo para que consigam baixar e levar o REA pra dentro da sala de aula. Nós, hackers, programadores e conhecedores da tecnologia em geral é que devemos fazer essa ponte: criar uma ferramenta que coloque os REAs certos, no lugares certos, nas mãos das pessoas certas. Ou seja, entregar o REA dentro da sala, de modo offline, preferencialmente vinculado à uma grade curricular, de bandeja pro Professor, facilitando então a prática pedagógica que usar REA.

Qual a metodologia que você utiliza para indexar recursos educacionais e incorporá-los na DudaLibrary?

Atualmente a indexação é feita por webscrapping, que é uma técnica (ou arte mística, como juram alguns) que vasculha a fonte de REA (como o Portal do Professor por exemplo), e interpreta o conteúdo com base num padrão. Esta é uma técnica muito frágil, pois uma alteração na estrutura da Fonte de REA pode invalidar a indexação pelo sistema.

Em contra partida, se a fonte do REA possuir uma API própria (API é uma interface de acesso público do aplicativo) como o Youtube, por exemplo, ou se ele usar o Duda Library, a indexação será mais simples e consistente. As fontes de REA que usarem o Duda Library para a gestão do seu próprio conteúdo (Ex: o MEC instala o Duda Library pra gerenciar o Portal do Professor), o Duda Library Central se integrará automaticamente com esta Fonte de REA.

O que diria para os educadores que desejam começar a trabalhar por e com REA?

Usar e produzir REAs é algo muito gratificante. A idéia é que aquele conhecimento, construído e “sintetizado” na forma de um REA, é algo que poderá ser usado por 3, 4, 10, inúmeras gerações. Crianças de qualquer lugar do mundo poderão ter acesso a esse conteúdo.

O REA, pra mim, também vem com uma mensagem que poucos a percebem: Podemos e devemos usar o computador, a tecnologia, para algo positivo, instrutivo. A tecnologia é um grande potencializador do conhecimento e do potencial humano e, infelizmente, nem sempre conseguimos que as coisas sejam assim.

Neste contexto, o Educador ganha mais esta tarefa nobre: ensinar aos aprendizes a usar a tecnologia para aprender, aguçar a curiosidade e, de fato, alimentá-la, ao invés de desperdiçar tempo, recurso e neurônios com coisas não tão produtivas como jogos, vídeos de gatos no youtube e outras coisas que são divertidas e até válidas, mas não devem ser o centro das atividades, já que não adicionam de fato conhecimento, não aprimoram a qualidade de vida e nem são fatores transformadores para a nossa sociedade.

Sobre o Futuro do Duda Library:

O que você vê em Duda Library é mais uma prova de conceito do que um projeto acabado. Atualmente sou o único desenvolvedor, gestor e divulgador e infelizmente não posso me dedicar 100% ao projeto. Eu entendo que o Duda Library não poderá ser feito sozinho, ele deverá ser abraçado e adotado por Governos e Instituições ligadas à área, principalmente se almejarmos definir um padrão para distribuição de REAs.

Atualmente busco maneiras de fomentar o desenvolvimento e a adoção do Duda Library em projetos educacionais. Já fechei uma parceria com a Prefeitura de Teófilo Otoni (cidade onde nasci e moro algumas semanas por mês) onde vamos implantá-lo na Escola Irmã Maria Amália no segundo semestre e tenho também uma reunião marcada com a Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais, que se interessou pelo projeto.

Fui convidado também a expor o projeto no FISL, o Fórum Internacional de Software Livre. Também fui recentemente convidado a ser o Coordenar Geral de Grade da Latinoware, onde também iremos levar a discussão do REA e do Duda Library para Governos e Instituições da América do Sul.

Se você, que está lendo esta entrevista, possui uma maneira de fomentar este projeto, ou se quiser ajudar de qualquer maneira, entre em contato. Certamente precisamos de toda a ajuda possível!

3 Respostas para Duda Nogueira

  1. Laura Vilela Rodrigues Rezende

    Prezado Duda, parabéns pela iniciativa! Achei o projeto Duda Library muito legal. Gostaria de saber se você também atua no contexto acadêmico junto às universidades.
    O motivo da minha pergunta é que sou formada em Ciência da Computação e com mestrado e doutorado em Ciência da Informação, a grande área da Biblioteconomia. Entendo que as bibliotecas são grandes parceiras em potencial das iniciativas de REAs. Pretendo realizar um estudo pós-doutoral em um projeto de REAs para universidades brasileiras.
    Me coloco a disposição para contribuições junto ao projeto Duda Library.
    Se souber de alguma iniciativa de REA ligada às Universidades gostaria de conhecer.
    Boa sorte no projeto.

    Laura Vilela Rodrigues Rezende
    Universidade Federal de Goiás
    Professora Adjunta da FACOMB – Faculdade de Comunicação e Biblioteconomia

     
    • Débora Sebriam

      Oi Laura, tudo bem?

      Já avisei o Duda que você deixou um comentário por aqui :)

      Débora

       
  2. Duda Nogueira

    Oi Laura, tudo bem?

    O foco inicial é mesmo as escolas, pois o projeto nasceu justamente dos meus anos de experiência nessa área: TI pra escolas.

    Porém ao desenvolver a solução percebi que não há nenhum padrão estabelecido para empacotamento, armazenamento, recuperação e redistribuição de REA/OER.

    No momento busco maneiras de financiar o projeto, seja através de bolsa de estudo, financiamento direto, editais, etc.

    Meu email é: dudanogueira@gmail.com e qualquer ajuda é sempre bem vinda.

    Uma grande dificuldade que encontro no momento é justamente aplicar o projeto no cenário educacional (alguma escola pública ou particular) e daí analisar os impactos que o projeto pode ter dentro desses cenários.

    Abraços e obrigado pelo interesse!

     

Adicionar um comentário

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Por favor, repita o código descrito acima